23 junho 2008

HBR Podcast

Sincronismo total...

Este podcast veio muito a calhar com o post anterior...

Retaining Employees When Money Is Tight
Featured Guest: Christina Bielaszka-DuVernay, editor of Harvard Management Update.

DIVIRTA-SE





Link para arquivo

22 junho 2008

ExpoGestão: Patrick Sweeney

Muggsy BoguesEsta sim, uma Apresentação com "A" maiúsculo...
Vice Presidente da multinacional Caliper, Patrick Sweeney foi o apresentador mais eloquente do segundo dia. Não é por menos, afinal, sua empresa já participou da contratação de algumas centenas de milhares de pessoas ao redor do mundo, e ele já realizou um estudo com 2 milhões de pessoas. Candidatos que passaram por sua empresa.

Como não poderia deixar de ser: mais atrasos...

Um fato bastante inusitado: Ginástica Laboral!!! Ao som de uma música animada, nos alongamos ouvindo a também animada professora... chique demais!!

Sweeney iniciou a palestra com a definição do escopo: O que gestores NÃO devem fazer!! e cerceou sua apresentação em quatro grandes erros que cometemos:

1) Contratar alguém para preencher exatamente a vaga aberta na empresa
2) Preencher apressadamente uma vaga aberta
3) Contratar pessoas que vejam o mundo da mesma forma que você
4) Contratar pessoas com experiências semelhantes

Questão metafísica da vez: Como contratar os melhores e evitar contratar os piores

Patrick nos apresenta uma reflexão interessante:

O que os top performers de sua empresa tem em comum??

Mais a frente falarei de duas características importantes: Resiliência e Otimismo. Falemos então dos erros principais dos gestores:

Contratar alguém apenas para preencher um cargo



Essa até eu sei, e pode ser descrita com a seguinte frase:

"Em Empresas de qualidade, quando um presidente se aposenta, contrata-se um office-boy"

Tá bom, tá bom... não quis dizer que contratar um guri sem experiência para presidente da empresa é a solução. A questão vai muito além, e me faz pensar: Quais são as qualidades que você espera, ao fazer uma contratação? Conhecimentos específicos para um tarefa? O potencial que as pessoas apresentam, e que poderá ser aproveitado pela empresa no futuro?

Patrick indica aqui uma virtude importante: Pense em contratar pessoas com a competência e o carácter que você quer na empresa. Neste caso, o papel de um gestor não é moldar e mudar pessoas, mas investir no potencial de cada uma que o cerca.
Nos trazendo para a realidade, fomos alertados de que Potencial não quer dizer nada! O que importa é o que fazemos com o potencial que nos é apresentado.

Resiliência



Resiliência, na visão do palestrante, é a capacidade de aprender e crescer à partir de experiências negativas. É o atributo social que fará as pessoas entenderem que falhas fazem parte do jogo da vida, e que devem ser incorporadas sem grandes excessos.

Conheci, neste momento, a história do jogador de basquete Muggsy Bogues... cara, que coisa impressionante a persistência do sujeito! =)
Nascido num bairro pobre e violento, Muggsy tinha tudo para ser mais um tiro pela culatra da sociedade americana. Mas ele queria jogar basquete... com 1,60m e muita, muita persistência, Muggsy conseguiu uma vaga numa universidade e uma vaga para jogar na NBA... todas as adversidades, principalmente com pessoas o questionando e humilhando sobre sua altura e origens, não foram suficientes para fazê-lo desistir. Na verdade, tornaram Muggsy mais persistente e implacável em sua força e vontade de jogar basquete.
Quando questionado, em entrevista, se não seria impossível enfrentar Michael Jordan , Muggsy disse, na maior das calmas: "Nada, ele é só um pouco alto".
Louco ou otimista? A verdade é que Muggsy fez história com sua persistência, e seria ótimo ter pessoas como ele em nossas equipes... certo?

Conclui-se que resiliência é a capacidade de obsorver mudanças e tirar o melhor proveito de qualquer experiência... esse tema tem sido tratado em inúmeras edições da ÉpocaNegocios, vale a pena dar um conferida.

Otimismo


Esqueça os pessimistas, pois eles só fazem reclamar... e dificilmente você terá grandes conquistas vindas de pessoas pessimistas...
Otimistas é que fazem tudo acontecer, mesmo quando as chances são mínimas... pense nisso...


Preencher muito rápido uma vaga



A verdade: Cadeiras vazias pressionam gestores. Preencher vagas a qualquer custo é um grande erro que os gestores não deveriam se sujeitar...
Uma equação simples:
Quanto tempo dura para você perceber que cometeu um erro numa contratação? E para remover esta pessoa do seu grupo??
Acredita-se que leve entre 6 a 9 meses para isso... no total...
O investimento perdido por encontrar a pessoa errada não justifica a tentativa de arrumar alguém muito rápido....

Outra questão metafísica: Como encontrar pessoas obsecadas por sucesso?

Com certeza, não será fazendo uma busca por 1 mês apenas...
Encontra pessoas com brilho nos olhos, e a vontade de trabalhar duro e apresentar resultados fabulosos! (só faltou dizer "Amén!")...

Contratar pessoas que veêm o mundo da mesma forma que você



É necessário criar e manter uma empresa balanceada em todos os sentidos. Daí a importância em ter pessoas com visões de negócio diferenciadas, o que facilitará a resolução de problemas com uma abordagem mais ampla e consistente.

Mais uma vez: quais características são comuns aos top performers?? Encontre esta resposta, e você com certeza terá uma boa dica para saber o que procurar em novas contratações. Patrick nos dá a visão de que é necessário focar em qualidades e forças para o sucesso. Pessoas que saibam, por si só, aprender, é uma ótima pedida.

Questão: Experiência é realmente necessário? Entre um jovem com gana em aprender e um profissional com 12 anos de experiências... quem você escolheria?
Resposta: Depende... que tal um profissonal com 12 anos de éssimas experiências? seria realmente interessante para sua equipe?
Experiência é muito interessante como uma habilidade de transferência, isto é, a capacidade de mudar de função e continuar exercendo um comportamento adaptativo e vencedor.

Contratar pessoas com experiências similares



Bem... aqui não há muito o que dizer...

Patrick descreve duas perguntas principais para serem feitas durante a entrevista, possibilitando uma visão melhor do candidato:
- Por que você deixou seu último emprego?
- Fale a respeito de uma vez que você falhou. Qual foi sua reação?


Nota para a Palestra: 1000!!
Impossível descrever aqui toda a palestra... mas até que fui longe...

Nota para a organização do evento: -1000000... vergonhoso!!! Colocaram um cara de intérprete para interação com a platéia que era um lixo, mal sabia falar inglês... um absurdo!!!

19 junho 2008

ExpoGestão: Oscar Motomura

Oscar Motomura

Oriental franzino, mas com muito conhecimento... inicia a apresentação sem uma apresentação formal (cadê o powerpoint??!?!?). O tema: Desafios dos líderes para o futuro

Motomura inicia sua apresentação descrevendo um treinamento que sua empresa costuma fazer: reunir líderes e fazê-los pensar no papel que suas ações tem nos problemas reais da humanidade. Eles nos desafia a discutir por alguns minutos: "Quais são os principais problemas da Humanidade?".
- Algum de vocês citou o aquecimento global?
- Algum de vocês falou sobre violência?

Me chamou muito a atenção uma questão jogada ao ar: "O que nós, como gestores, fazemos para ampliar ou reduzir os problemas da humanidade?"

Um dos principais desafios dos gestores do futuro é conseguir trabalhar o crescimento de suas empresa num ambiente adverso e problemático, e interagir de maneira próativa na diminuição dos males da humanidade.

Qual a nossa aposta para o futuro?



Nova tendência é encarar a Gestão como uma atividade de Design.

Líderes como designers
Designers como líderes


Como você quer atuar em sua empresa: Surfar nas mega tendências ou desenhar o seu próprio futuro?

É papel dos gestores, neste momento, lançar questões impossíveis para discussões. Somente, assim seria possível que algo realmente grande e grandioso fosse feito. Exemplos de como esta abordagem pode:
Magazine luiza: "Como crescemos sem dinheiro?"
Esta foi a questão impossível que motivou todo um movimento de mudança de estratégica da empresa, vendendo na década de 80/90 através de catálogos e vídeos, depois entrando na era digital... bem interessante

Serão estas questões impossíveis que trarão a ruptura cultural para o crescimento da empresa. Insights e inovações surgem da buscam em resporder questões impossíveis.

É importante que esta discussão seja levada A TODAS AS PESSOAS DA EMPRESA. Uma caracteristica mais critica para os lideres será conhecer os padrões e nuâncias das interações humanas

Foi citado o exemplo de um líder de líderes. Cientista americano que coordenava mais de 8 mil outros cientistas, entre eles inúmeros "nobles". DEntre as licoes retiradas do exemplos, podemos assumir que, antes de mais nada, liderança é uma questões de traquejo social, e não poder instituíto. Na tentativa de liderar outros líderes, é preciso:

- Não competir em absoluto com as suas atividades. Estar certo de que você não será um impecilho para o trabalho deles (not control, but freedon drives the growth)
- Ter certeza que todos estejam trabalhando em questões realmente desafiadoras. Desafios são importantíssimos para gerar o comprometimento
- Mantê-los autamente motivados. Aqui, o importante é não fazê-los passar despercebidos! (tal cientista costumava dar presentes inusitados aos seus liderados, como barras de 5kg de chocolate, para que, ao chegar em seus escritórios eles sejam percebidos e possam falar a respeito do presente...)


Outro desafio para novos líderes lideres será "saber de gente". É necessário que, durante uma mudança de estratégia, focar a atenção também na mudança cultural, que possui o mesmo peso.


Preparar-se para o futuro



- Lidar com economia de escala
- Lidar com a complexidade (cultural, economia e ambiental)
- Investir em talentos

Foi tratado o tema Excelência Futura, que passa PRINCIPALMENTE na maneira como a empresa investe, mantém e encontra talentos.
Muitas empresas atualmente possuem reserva de talentos, isto é, um grupo especial de pessoas, que qdo a coisa aperta, eles darão resultado rápido. Motomura cita o "Indice de Excelência Futura", medida criada por eles (ou nao) para determinar o quão preparada a empresa está para o futuro que a aguarda.

É imprescindível que os líderes da empresa estejam livres para pensar no futuro. No Brasil, o que se vê são inúmeros líderes afogados questões operacionais desnecessariamente, quando deveriam estar estudando e vislumbrando os rumos que a empresa deve tomar. O principal reflexo desta realidade é o grande número líderes brilhantes estão cronicamente cansadas.

Manter embriões de novos negócios, através de experiências, inúmeras delas, muitas delas! Somente desta forma poderíamos nos aproveitas de espaços em branco nos negócios (Blue Ocean Starategy)...

Mas o melhor estava reservado para o final... alguma vez vocês se questionaram qual a nossa real intenção em atuar como empresas neste mundo? Motomura nos propôs a segunda reflexão da noite: ele nos instigou a enviar para o planejamento estratégico da empresa a discussão sobre nosso papel neste planeta.

Estamos contribuindo com a nossa visão de negócio para o bem e da humanidade e do planeta?

Ensinamentos interessantes:

Para sobreviver no mercado por muito tempo, é necessário favorecer e desenvolver competências duráveis. Uma vez que conhecimentos ficam obsoletos rapidamente, é necessário desenvolver talentos que permitam o crescimento dos indivíduos e da empresa como um todo. Não é possível manter talentos tendo como base o dinheiro, é necessário mais.. - próximo post falará da palestra do Patrick Sweeney, e tem tudo com isso!

Fui apresentado ao conceito de Felicidade Interna Bruta, como sendo muito mais eficiente que o tradicional PIB...


A palestra finalizou com a idéia de que Ética é a escolha que fazemos para o bem comum...
Simples e direto... credo!!!!

Depois disso um coquetel chique no último nos esperava, com Chopp Opa, Chanpagne e vários croquetes... =)

ExpoGestão: Primeiro dia!

Saudações!!!
Diretamente do hotel, postando a respeito do principal evento de Gestão deste país!
=)

Chegamos a Joinville! Depois de um pequeno contratempo para encontrar o hotel Holz (que estava na nossa cara, mas passamos batido), rumamos para o Centro de eventos Cau Hasen...

A estrutura está fenomenal... muuuita gente inscrita e extremamente organizado...
ai estão as fotos dos crachas! (já traducionais nestas coberturas)

Sobre o início do evento: boring

Iniciando com uma hora de atraso, houve as apresentações e rasgações de sede corriqueiras, depois disso uma apresentação do organizador do evento, que descreveu este evento sobre a ótica de "Superar Expectativas".

É possível perceber uma preocupação muito grande nas questões de Responsabilidade Ambiental e os questionamento sociais que devem permear no dia-a-dia das organizações.

Logo após o brilhante discurso, tivemos a participação do governador do estado, o Senhor Luiz Henrique da Silveira.
Fato inusitado: o primeiro agradescimento da noite foi diretamente para, segundo o prefeiro, os convidados mais importantes do evento: "As mulheres presentes"... é realmente um galante este nosso governador... ele deve ter lido A Trilha do Guerreiro...
Ligando o gerador de lero-lero por alguns minutos, o governador resolveu vangloriar-se de todos os benefícios e crescimentos maravilhoso que nosso estado marvilhoso conseguiu alcançar com a ajuda maravilhosa de sua pessoa....

Na boa, Palanque de Eleições não!! Malditos políticos que não conseguem ter o foco necessário para serem sucintos, diretos e objetivos (Agile way, baby)


Aproveitei para criar o album do evento... como estou meio sem recursos para este evento, talvez as fotos não sejam tantas... mas vale a pena conferir!
http://picasaweb.google.com/victorhg/ExpoGestao2008

Proximo post falo da apresentacao impressionante de Oscar Motomura (excepcional!!!!)

[]s

18 junho 2008

ExpoGestão 2008: aí vou eu!

ExpoGestão 2008
Saudações!

O resto desta semana estarei na ExpoGestão2008, evento que ocorrerá em Joinville...

Irei como correspondente oficial da Audaces juntamente com um dos gerentes de produto aqui... (acho que estou ficando importante... credo!)

Quero muito ouvir o caso da Boeing, já sabendo que eles aplicaram um modelo Lean de produção juntamente com a idéia de chão de fábrica global do wikinomics

Acompanhem atualizações e fotos sobre o evento neste mesmo local..

[]s

17 junho 2008

Integração Contínua em Java at GUjSC

Yeah!!
Bem, após transtornos com a queda do servidor do SlideShare, consigo finalmente disponibilizar a apresentação de hoje!

Realizada no Auditório do EPS, acredito que perto de 20 pessoas compareceram...

Bem, não sou eu que deve postar as impressões da apresentação: se algum de vocês me viu falando, comente!

Gostei bastante da receptividade e dos comentários durante o coffee break (habib's!!!! adoro esfiha...)

Segue abaixo a apresentação:


[embed]Link da apresentação[embed]





Sobre a apresentação do Andrik: muito bacana!!! Pow, deu muita curiosidade de ver o tal Gant funcionando em nosso ambiente de IC lah na Audaces. Parabéns pela apresentação...


Obrigado ao GUjSC pelo convite... e sabe como é, derrubou na área é pênalt e se precisar, cola em mim que é só sucesso!!!

[]s

Projetinho exemplo: Integração Contínua

Saudações!

Como vcs devem saber, hoje tenho uma apresentação sobre Integração Contínua no auditório do EPS às 18:40...

Como forma de ilustrar a minha apresentação, vou disponibilizar um arquivo contendo um projetinho de exemplo - feito no eclipse, óbvio - e que junta ant+junit+mocks+javadoc+findbugs+dbunit+sqlite para apresentar como é possível iniciar um projeto já pensando em qualidade de software.

É um projeto beeeeeem simples, apenas com uma tela de login e uma listagem qualquer... o foco da aplicação é comprovar o conceito que vou descrever hoje... espero vocês por lá!

Download do Arquivo: userAdminIC.tgz

[]s
Victor

12 junho 2008

Evento GUJavaSC


Saudações!
Este blog até que está dando resultado!
Depois de falar a respeito e inclusive publicar uma matéria sobre, me convidaram para falar de Integração Contínua!

Bem, se você quer me ouvir falar que é possível ter software com qualidade, redução de riscos e como você nunca sonhou, venha me ver!

Tudo bem, você pode sair decepcionado, afinal, eu não vou resolver todos os seus problemas... mas uma palestra não serve para isso!
Para resolver esta situação, estarei disponível para conversar e tomar uma cerva depois do evento - sabe como é, sem bebida, nada acontece!

Encontre informações sobre ferramentas e maneiras de trabalhar com seu software que possibilitarão a saúde e bem estar da sua empresa!

Mais informações: Encontro GuJavaSc

04 junho 2008

Fórum Mundial de Marketing e Vendas

A HSM On-line está fazendo a cobertura completa do Fórum Mundial de Marketing e Vendas, que ocorre neste momento em São Paulo. Os maiores pensadores da atualidade estão presentes para discursarem sobre os rumos do setor para os próximos anos.

Chamo atenção à apresentação de Andrew Lippman, falando sobre Sociedades Virais e Arquiteturas para o futuro.
O cientista, empresário e professor do MIT acredita que o futuro será determinado pelos estilos de vida e o consumidor terá ainda mais poder para configurar, ao seu gosto, tudo o que é produzido.

Leia a matéria completa, e ouça o podcast (uma aula aos gestores sobre tecnologia e ciencias sociais)

Sobre a palestra, os principais pontos estão listados abaixo:

Sociedades Virais e Arquiteturas para o Futuro



“No mundo wireless, o controle é do usuário e não há mais produtos”

"A sociedade mudou. Vocês ouvem isso demais e há muito tempo, mas a sociedade mudou novamente, e mudou de modo crítico, de tal forma que afeta o marketing e a produção. Não há mais produtos. Existem coisas que fornecemos às pessoas, a partir das quais elas fabricam seus próprios produtos”. (...)

O cientista assinala que Malcolm Gladwell, autor de "Tipping Point: o ponto de desequilíbrio", fez uma grande sugestão em seu livro. Disse que, se alguém queria lançar um café, deveria fazê-lo via degustação em um salão de beleza, onde vão as donas de casa que compram café, e não anunciá-lo num outdoor. “A mensagem, agora, é membership, associação a grupos. Isso já não é mais moda”, afirmou Lippman.
O professor do MIT explicou que o índice de mudança de uma sociedade é função da idade a partir da qual as pessoas têm acesso à tecnologia. Assim, a sociedade, que costumava mudar a cada 16 anos, move-se mais rapidamente, pois as pessoas têm acesso à tecnologia aos três ou quatro anos de idade. Hoje, as gerações mudam quatro vezes mais rapidamente do que acontecia no passado. Isso significa que as coisas que achávamos que eram moda evoluem e tornam-se um elo entre o filho mais jovem e o mais velho. “A mágica é integrar o seu não-produto (pois não há produtos) às redes sociais”, resumiu o especialista.
(...)
Finalizando sua exposição, Lippman afirmou que, no futuro, não haverá produtos, mas arquiteturas. “Nós lhe damos a argila para você construir o sistema” será a palavra de ordem. “O SMS revolucionou a comunicação ao propor que o usuário usasse seu polegar para digitar. Quem imaginaria que isso se tornaria uma moda mundial? O questionamento e a evolução são o que vai tornar essas coisas revolucionárias possíveis”, concluiu o palestrante.