19 junho 2008

ExpoGestão: Oscar Motomura

Oscar Motomura

Oriental franzino, mas com muito conhecimento... inicia a apresentação sem uma apresentação formal (cadê o powerpoint??!?!?). O tema: Desafios dos líderes para o futuro

Motomura inicia sua apresentação descrevendo um treinamento que sua empresa costuma fazer: reunir líderes e fazê-los pensar no papel que suas ações tem nos problemas reais da humanidade. Eles nos desafia a discutir por alguns minutos: "Quais são os principais problemas da Humanidade?".
- Algum de vocês citou o aquecimento global?
- Algum de vocês falou sobre violência?

Me chamou muito a atenção uma questão jogada ao ar: "O que nós, como gestores, fazemos para ampliar ou reduzir os problemas da humanidade?"

Um dos principais desafios dos gestores do futuro é conseguir trabalhar o crescimento de suas empresa num ambiente adverso e problemático, e interagir de maneira próativa na diminuição dos males da humanidade.

Qual a nossa aposta para o futuro?



Nova tendência é encarar a Gestão como uma atividade de Design.

Líderes como designers
Designers como líderes


Como você quer atuar em sua empresa: Surfar nas mega tendências ou desenhar o seu próprio futuro?

É papel dos gestores, neste momento, lançar questões impossíveis para discussões. Somente, assim seria possível que algo realmente grande e grandioso fosse feito. Exemplos de como esta abordagem pode:
Magazine luiza: "Como crescemos sem dinheiro?"
Esta foi a questão impossível que motivou todo um movimento de mudança de estratégica da empresa, vendendo na década de 80/90 através de catálogos e vídeos, depois entrando na era digital... bem interessante

Serão estas questões impossíveis que trarão a ruptura cultural para o crescimento da empresa. Insights e inovações surgem da buscam em resporder questões impossíveis.

É importante que esta discussão seja levada A TODAS AS PESSOAS DA EMPRESA. Uma caracteristica mais critica para os lideres será conhecer os padrões e nuâncias das interações humanas

Foi citado o exemplo de um líder de líderes. Cientista americano que coordenava mais de 8 mil outros cientistas, entre eles inúmeros "nobles". DEntre as licoes retiradas do exemplos, podemos assumir que, antes de mais nada, liderança é uma questões de traquejo social, e não poder instituíto. Na tentativa de liderar outros líderes, é preciso:

- Não competir em absoluto com as suas atividades. Estar certo de que você não será um impecilho para o trabalho deles (not control, but freedon drives the growth)
- Ter certeza que todos estejam trabalhando em questões realmente desafiadoras. Desafios são importantíssimos para gerar o comprometimento
- Mantê-los autamente motivados. Aqui, o importante é não fazê-los passar despercebidos! (tal cientista costumava dar presentes inusitados aos seus liderados, como barras de 5kg de chocolate, para que, ao chegar em seus escritórios eles sejam percebidos e possam falar a respeito do presente...)


Outro desafio para novos líderes lideres será "saber de gente". É necessário que, durante uma mudança de estratégia, focar a atenção também na mudança cultural, que possui o mesmo peso.


Preparar-se para o futuro



- Lidar com economia de escala
- Lidar com a complexidade (cultural, economia e ambiental)
- Investir em talentos

Foi tratado o tema Excelência Futura, que passa PRINCIPALMENTE na maneira como a empresa investe, mantém e encontra talentos.
Muitas empresas atualmente possuem reserva de talentos, isto é, um grupo especial de pessoas, que qdo a coisa aperta, eles darão resultado rápido. Motomura cita o "Indice de Excelência Futura", medida criada por eles (ou nao) para determinar o quão preparada a empresa está para o futuro que a aguarda.

É imprescindível que os líderes da empresa estejam livres para pensar no futuro. No Brasil, o que se vê são inúmeros líderes afogados questões operacionais desnecessariamente, quando deveriam estar estudando e vislumbrando os rumos que a empresa deve tomar. O principal reflexo desta realidade é o grande número líderes brilhantes estão cronicamente cansadas.

Manter embriões de novos negócios, através de experiências, inúmeras delas, muitas delas! Somente desta forma poderíamos nos aproveitas de espaços em branco nos negócios (Blue Ocean Starategy)...

Mas o melhor estava reservado para o final... alguma vez vocês se questionaram qual a nossa real intenção em atuar como empresas neste mundo? Motomura nos propôs a segunda reflexão da noite: ele nos instigou a enviar para o planejamento estratégico da empresa a discussão sobre nosso papel neste planeta.

Estamos contribuindo com a nossa visão de negócio para o bem e da humanidade e do planeta?

Ensinamentos interessantes:

Para sobreviver no mercado por muito tempo, é necessário favorecer e desenvolver competências duráveis. Uma vez que conhecimentos ficam obsoletos rapidamente, é necessário desenvolver talentos que permitam o crescimento dos indivíduos e da empresa como um todo. Não é possível manter talentos tendo como base o dinheiro, é necessário mais.. - próximo post falará da palestra do Patrick Sweeney, e tem tudo com isso!

Fui apresentado ao conceito de Felicidade Interna Bruta, como sendo muito mais eficiente que o tradicional PIB...


A palestra finalizou com a idéia de que Ética é a escolha que fazemos para o bem comum...
Simples e direto... credo!!!!

Depois disso um coquetel chique no último nos esperava, com Chopp Opa, Chanpagne e vários croquetes... =)

Um comentário:

  1. o mundo logo vai conhecer 3GD enterprise - Grando e Germano Global Domination
    Quem viver, verá.

    ResponderExcluir